5.4.12

lasanha fresca de peixe

lasanha fresca de peixe

Hoje mais do que nunca é necessário poupar até na forma como gerimos a nossa despensa. Nunca deito as sobras das refeições fora, reaproveito-as sempre e este acto representa uma poupança significativa no orçamento mensal destinado à alimentação.

Foi o caso deste prato feito com sobras de peixe cozido e um escabeche de cavala.

A massa acabada de fazer da lasanha deu-lhe aquele toque de frescura e o escabeche de peixe conferiu o sabor apuradinho ao recheio.

lasanha fresca de peixe
lasanha fresca de peixe

Os ingredientes:

Massa fresca:

300 g de farinha T55
3 ovos biológicos

Béchamel:

3 colheres de sopa de manteiga
3 colheres de sopa de farinha T55
0,5 l de leite morno
noz moscada
sal marinho q.b.
pimenta moída na altura

Recheio:

2 postas grandes de salmão e abrótea cozidas em pedaços
2 cavalas em escabeche e respectiva cebolada

Cobertura:

queijo mozzarella a gosto

A receita:

Colocar a farinha numa tijela e juntar os ovos. Amassar muito bem até obter uma massa homogénea e bem ligada. Colocar na máquina de pasta fresca e seguir os procedimentos desta receita.

Cortar a pasta com a forma da lasanha com o tamanho adequado à assadeira. Necessitei de 7 placas e a pasta restante foi cortada em tagliatelli para outra refeição. Pode ser congelada se desejar. Colocar as placas numa superfície enfarinhada.

Limpar as postas de peixe de espinhas e desfiá-las. Misturar com a cebolada.

Para o molho béchamel colocar num tacho 3 colheres de sopa de manteiga e levar ao lume. Quando estiver derretida juntar a farinha, mexendo sempre até ficar com um aspecto areado. Juntar o leite morno aos poucos sem parar de mexer para não ficar com grumos. Temperar com sal, a noz moscada e a pimenta e deixar engrossar o molho mexendo sempre.

Para dispor as camadas na assadeira coloque primeiro o molho béchamel, a placa de pasta, o peixe e finalize com o molho. Repetir o processo até acabar a massa e cobrir a lasanha com uma camada generosa de béchamel e queijo mozzarella.

Levar a forno pré-aquecido a 160ºC e cozer até estar douradinha.

Deixar repousar um pouco e servir bem quente. Ficou uma delícia.



Como escrevi no início deste post, é nosso hábito reutilizar as sobras das refeições. Este vídeo que publiquei há uns tempos na página do facebook do Pedra do lar, coloca uma questão muito pertinente num mundo cheio de paradoxos: de que a comida é demasiado preciosa para ser colocada num balde do lixo. Mesmo num sistema consumista cheio de excedentes de produção onde se enfatiza demasiado a higienização da comida, é possível reaproveitar aquilo que é considerado "lixo" porque está no limite da validade ou porque no dia seguinte já não é fresco.

Comi na minha infância muita fruta apanhada directamente da árvore, animais e ovos de criação, enchidos feitos em casa, e há 40 anos atrás não existiam os prazos de validade nos alimentos. Dá que pensar, acerca dos novos paradigmas, serão estes excessivamente herméticos, colocando-nos a todos dentro de uma redoma de vidro? Podemos sempre optar, se quisermos claro, por ter uma abertura sem preconceitos, relativamente a novas abordagens. É essencialmente uma postura diferente que este vídeo nos mostra.

8 comentários:

  1. Gostei muito deste texto sobre a higienização da comida. Pessoalmente, acho um exagero. Até porque o excesso de higiene é, na realidade um problema. De facto, existe uma correlação com um excesso de higiene e o aumento das doenças do "mundo civilizado", como as alergias e doenças auto-imunes. Durante toda a evolução, o nosso sistema imunitário foi exposto aos mais variados tipos de agentes estranhos, infecciosos ou não. Se de repente - nos 100 anos - tudo passou a ser estéril, é natural que o sistema imunitário não saiba bem o que se passa...
    Deixo os parabéns pelo bom blog - sou cliente assídua apesar de silenciosa - e os desejos de boa Páscoa, Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sofia,

      é precisamente aí que esta histeria à volta da higiene alimentar me incomoda. Deixámos de ser imunes aos agentes infecciosos porque o nosso sistema imunitário não esteve exposto a estes, de forma a poder criar as defesas naturais que o organismo tem. E a questão da higiene alimentar neste vídeo pode incomodar quem acha que recolher comida de um contentor de um hipermercado pode ser sujo, embora os produtos estejam selados.

      É tudo uma questão de perspectiva, acho que temos sempre de ter uma abordagem pouco fundamentalista na nossa forma de estar perante as questões, higiene sim mas q.b.

      Um beijinho e uma boa Páscoa :)*

      Eliminar
  2. Uma receita muito saborosa e racional no aproveitamento obrigatório que devemos fazer dos alimentos.
    Babette

    ResponderEliminar
  3. Uma receita saborosa, e com excelente aspecto.
    Também não deito nada fora e parece-me excessivo a preocupação com as datas de validade, se hoje está bom amanhã não está só porque acabou ontem? Não acredito.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Vou passando várias vezes no seu blog. Adoro o tipo de receitas que partilha, um misto das nossas tradições com muita criatividade.
    Parabéns, continue!

    Se puder seguir o meu blo também, terei muito gosto!

    Nicole

    http://comidaelomos.blogsopt.pt

    ResponderEliminar
  5. Olá!
    Passei a conhecer o blog e estou encantada. Com as receitas e as fotos, brilhantes. Muito bom gosto. Parabéns.
    Gostei desta receita, temos mesmo de aproveitar tudo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. A lasanha, linda, serve de mote a uma reflexão mesmo pertinente...
    Os excessos de desperdício, zelo, normas e sei lá que mais, levam-nos a um caminho sem sabor, sem autenticidade e sem tanta coisa boa que se vai perdendo nestas manias.
    Eu sou totalmente pelo que é genuíno e sobras... sobras são promessas de coisas boas! :))
    Bjs

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...